Páginas

Tintas e pincéis

Pincéis
Três ou quatro pincéis de boa qualidade são suficientes para quem está começando. Redondos, chatos e ovais chatos ou filbert (pincéis chatos com pontas ovaladas). Os pincéis de cerdas, feitos com pêlos de porco, são mais duros do que os de marta e absorvem mais tinta, por isso são melhores para espalhar a tinta em áreas maiores. Os pincéis de marta redondos são mais indicados para trabalhar os detalhes da pintura. Existem também os pincéis de pêlos artificiais, de náilon, resistentes e fáceis de limpar. São aceitáveis, porém se deformam com facilidade. Uma dica importante: Usar pincéis maiores e mais duros para as primeiras camadas e os menores e macios para finalizar a pintura.

Paletas
Qualquer superfície serve como paleta, desde que seja impermeável e uniforme. Se for uma superfície de plástico deve se tomar cuidado para não reagir com o solvente da tinta (terebintina). As paletas de madeira com orifício para o polegar são encontradas em várias formas e tamanhos. É bom experimentar a que melhor se ajuste a sua mão, a fim de não cansar o braço.

Tintas
Com relação à qualidade, há dois tipos de tinta: profissional e amador. A primeira tem cor mais intensa e viva, pois a densidade do pigmento é maior, e também custa mais. A tinta destinada aos principiantes em geral vem com excesso de óleo ou misturada com outros materiais, como giz, e seus pigmentos são de qualidade inferior, por isso custa menos. Porém, essa qualidade é perfeitamente satisfatória. É melhor investir numa maior variedade de cores do que em tintas de qualidade superior. Dica importante: os materiais não passam de simples instrumentos para que as pessoas possam expressar sua criatividade. Grandes artistas produziram quadros famosos usando algumas pequenas combinações de cores.

Nenhum comentário: